"Um incrédulo poderia dizer que dois criadores diferentes estiveram em ação", ironizou o evolucionista Charles Darwin (1809-1882) quando se deparou na Austrália com dois esquisitos animais: o rato-canguru e o ornitorrinco. Desde então se passaram quase dois séculos, mas é certo que a natureza continua a surpreender: espécies que viveram há cerca de 11 milhões de anos e que se imaginava extintas voltaram a ser vistas na Ásia. Como num passe de mágica, elas parecem ter saído do baú onde Darwin, que derrubou a teoria da criação, guardava fósseis dos animais que encontrava em suas viagens de pesquisa científica. A diferença é que o baú guarda ossos e os animais que agora reaparecem estão mais vivos do que nunca. São cinco as novas espécies identificadas na semana passada na região do rio Mekong (Camboja, Laos, Mianmar, Tailândia, Vietnã e China) e elas se somam aos mais de mil novos tipos de animais e de plantas que já vinham sendo localizados ao longo da última década. Segundo o biólogo americano Thomas Ziegler, a maior parte deles foi encontrada na selva ou em pântanos da região, mas alguns foram descobertos em lugares pouco comuns.O rato-da-pedra-laociano (Laonastes aenigmamus), por exemplo, é uma espécie descendente de uma família de roedores que desapareceram há cerca de dez milhões de anos. De repente, não mais que de repente, um exemplar desse grupo foi visto correndo em um mercado de alimentos no Laos. E há mais: uma nova espécie de serpente verde (Trimeresurus gumprechti) foi apanhada próximo a um restaurante no parque nacional Khao Yai, na Tailândia. "Pisar essa região me faz lembrar das histórias que eu lia sobre Charles Darwin quando era criança", diz Ziegler. "E pensar que nós chegamos a imaginar que essas espécies tivessem se extinguido sem deixar descendentes praticamente idênticos a seus ancestrais." Chamou a atenção, sobretudo, uma aranha gigante e agressiva (Heteropoda dagmarae) que vive na floresta da região norte e central do Laos. Ela dorme de dia e sai à noite atrás de suas presas, atacando-as em arbustos. Ao contrário dessa aranha, há uma exótica e pacífica rã (Chiromantis samkosensis) com uma série de características que a distinguem das demais no continente asiático - tem sangue verde e ossos turquesa. "Além de possuírem uma fisiologia diferente dos animais que conhecemos, esses novos tipos têm cores tão vivas que nos sugerem uma nova forma de defesa", diz Ziegler.A espécie que comprovou a suspeita de Ziegler envolve a lacraia dragão (Desmoxytes purpurosea) com seu corde- rosa tão bonito e tão letal: possui substâncias venenosas como o cianureto, composto químico altamente tóxico. Esse é o mesmo veneno utilizado por soldados que queriam se suicidar na Segunda Guerra Mundial ao se verem cercados por forças inimigas - optavam pela morte para não serem capturados, e a ingestão entre 0,5 e 1mg é suficiente para matar instantaneamente um adulto. Finalmente, menos perigoso mas nem por isso menos astuto, é o lagarto Gekko (Gekko scientiadventura), capaz de aderir facilmente a superfícies e com elas se deixar confundir (mimetismo). Ele possui fibras nos pés e elas se dividem em linhas ainda mais finas e duras, dando-lhe a aparência de uma espátula. A importância dessas novas espécies resultou em um extenso catálogo no qual os cientistas relatam (como Darwin diante de um mundo totalmente diferente que a natureza lhe apresentou) 519 plantas, 279 peixes, 88 rãs, 88 aranhas, 46 lagartos, 22 cobras, 15 mamíferos, quatro pássaros, quatro tartarugas, duas salamandras e um sapo. Tudo na região asiática, lugar que Darwin chamou um dia de o berço da biologia atual.



DIVERSO Encontrados em lugares inesperados como mercado e restaurante, a serpente verde, a lacraia dragão cor-de-rosa e o lagarto Gekko estão entre as novas espécies descobertas na região asiática do rio Mekong



Fonte: http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/2042/artigo119661-1.htm





______________________________________________________



Não é incrível isso eu fico emocionada em poder estar vendo a descoberta de muitas espécies ainda...
Isso é incrível!
O que me deixa extremamente triste é que de um lado a possível extinção de certos animais de outro a descoberta de desconhecidos ou ainda de consederados extintos, isso é ainda mais emocionante encontrar animais que não eram vistos por milhoes de anos.
Isso me da a sensação de que o mundo nossa rica natureza ainda tem chances de sobreviver em harmoniacom nós com nossa descontrolada urbanização!
Fico muito feliz ao ler noticias assim!




2 comentários:

  1. planetadobem Says:

    Oi Sarah
    essa eu ainda não tinha lido e achei muito interessante.
    O melhor é pensar que espécies que não vemos mais e estão na lista de extintas podem estar vivendo em áreas remotas das grandes florestas do mundo onde o homem ainda não colocou a mão.

    Posted on 4 de setembro de 2009 20:01  

    Sarah Crysthina Says:

    É isso nos da um pouco de esperança, não é mesmo?!?!

    Posted on 5 de setembro de 2009 15:47  

Postar um comentário

Deixe sua opinião, dúvida, crítica ou desabafo, e sempre muito gratificante ter novas opiniões em nossos posts.
Ao deixar um comentário acompanhe-o, com certeza ele será respondido e comentado, afinal todos os comentários são respondidos de alguma meneira.

Muito obrigada pela visita e participação, é uma honra para gente ter sua opinião no Inspiração Verde!

Postagens populares

Ocorreu um erro neste gadget

..:: "Inspiração Verde" ::..

.

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa blogarama - the blog directory